Epilogos - Nas entranhas da besta - Parte 1

Não era um dia comum no amazonas, em algum lugar dali, no meio daquelas florestas, dentro das águas , haviam soldados, armados até os dentes, preparados para servir sua nação, e combater o narcotráfico.

Sargento: Fiquem todos preparados para quando o avião chegar, queremos pegar eles desprevenidos , e precisamos apreender o material também.

Os soldados, ficavam apenas observando, esperando, o momento do ataque. Aqueles segundos pareciam horas, todos estavam muito apreensivos, mas , algo estava caminhando muito errado. Perto de Anderson, um homem de cor acinzentada, caminhava vagarosamente, quando se escuta.

Traficante: Quien eres tú?!?!


O homem não esboça reação, quando o traficante chega perto, o homem ataca-o com uma mordida, então, o traficante joga-o na água e dá um tiro, quando percebe que há um soldado ali. Anderson imediatamente mira no homem e aperta o gatilho de sua AR-15, despejando uma rajada devastadora no traficante, então começa o tiroteio. O sargento, furioso, vai até Anderson aplicar-lhe uma bronca:

Sargento: O que você fez, seu inutil!!!!!
Anderson: Ele me percebeu, quan...
Sargento: Você será punido sériamente por isso, incompetente!!!!!

É quando Anderson percebe que há um suspeito entrando em um caminhão, se preparando para fugir, logo ele tenta atirar nos pneus, mas não acerta, então, corre para um jipe que ali perto havia, e começa a perseguir o fugitivo. Após alguns quilômetros, quando anderson começa a se aproximar do caminhão, o fugitivo percebe e tenta uma manobra desesperada, pisa no freio o mais forte que pode e joga o caminhão para a direita, reduzindo a marcha e acelerando logo em seguida, anderson consegue frear e jogar o jipe para a mesma direção, fazendo os veículos ficarem lado a lado, e é quando ele resolve pular na caçamba do caminhão. O traficante, percebendo o novo passageiro, tira um revolver e começa a atirar pelo vidro traseiro do caminhão, Anderson então atira com sua AR-15 no traficante, mas acaba fazendo o mesmo desmaiar e continuar a acelerar. É quando o caminhão bate em alguma coisa, e arremessa Anderson muito longe dali, que cai no chão desacordado.

Algum tempo depois, Anderson acorda, e percebe que está dentro de uma casa, sem sua farda, com ferimentos e arranhões por todo o corpo, muito dolorido, quando escuta passos em terra fofa e molhada fora da casa, e decide levantar e ver o que está acontecendo. Quando ele olha pela janela, vê muitas pessoas ensanguentadas, algumas sem partes do corpo, quando ele diz a si mesmo:

Anderson: Não acredito, eu vim parar no inferno.

Então se lembra de seus supostos ultimos momentos na terra, aquele caminhão, a pancada, quando escuta alguém falando:

Voz estranha: Ah, você acordou!

Então ele se vira, e pergunta:

Anderson: Quem é você?!?!?!?!

Então o homem diz:

Homem: Desculpe não me apresentar, meu nome é Leandro, quem é você soldado?

Anderson: Eu sou Anderson, onde eu estou????

Leandro: Em um abrigo, eu estava procurando alguns mantimentos quando eu escutei um barulho e fui ver, cheguei lá estava você caído, então eu te trouxe pra cá, pois vi que você estava vivo.

Anderson: E o que são essas coisas aí fora??

Leandro: São criaturas errantes, agem como zumbis, apenas comem o que ainda está vivo.

Anderson: o que você quis dizer com AINDA ESTÁ VIVO???

Leandro: Eles são mortos-vivos, e se te morderem ou arranharem você vira um deles.

Anderson: Você só pode estar brincando comigo.

Leandro: Você está vendo, não é brincadeira.

Anderson aceita e pergunta por sua farda, Leandro indica com o dedo, Anderson pega sua farda e se veste, quando Leandro diz:

Leandro: Precisamos sair daqui logo.

Anderson: como assim? há quanto tempo você está aqui??

Leandro: 2 dias e racionando comida. A coisa aqui está ficando muito ruim, quando sairmos daqui temos de avisar as autoridades.

Anderson: Ok, uma pergunta , você é militar?

Leandro: Sim.

Anderson: Certo, você tem armamentos aí?

Leandro: tenho uma AK-74 e uma EP.12, qual você escolhe?

Anderson: Vou ficar com a 12, eu sempre era melhor com essa, pena que não pude usar uma ainda.

Leandro: Ok então, quando amanhecer sairemos daqui.

Anderson: Você tem algum plano?

Leandro: Tenho, e você adora perguntar hein!

Anderson: Fazer o quê, so te conheço faz meia-hora.

Leandro: (risos) é verdade, vamos preparar as coisas, amanhã temos uma longa caminhada.

CONTINUA...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...