Epilogos - Nas entranhas da besta - Parte 2

Amanhece o dia, as criaturas não estão mais por perto, o silencio é aterrorizador,Leandro e Anderson se preparam para partir em uma missão de sobrevivencia.

Anderson: para onde estaremos indo?
Leandro: há uma base militar a aproximadamente 2 quilometros e meio daqui, lá poderemos achar comida, munição e talvez algum meio de nos comunicar com alguém que possa nos ajudar.
Anderson: voce tem certeza que lá estaremos seguros?
Leandro: seguros estaremos, mas, nossa intenção não é ficar lá.
Anderson: como assim?
Leandro: precisamos sair daqui o mais rápido possivel, estamos cercados por essas coisas, e nós não podemos simplesmente ficar aqui para sobreviver, temos que diagnosticar a situação.
Anderson: diagnosticar a situação? não estou entendendo.
Leandro: eu te explico depois

Anderson desconfia que Leandro está escondendo algo, quando eles saem da casa, e começam a caminhada. Algum tempo se passa, ambos já estão cansados, quando avistam a uma certa distancia, algo parecido com parque de containers, eles haviam chegado ao destino,mas, algo estava errado, ali perto, haviam algumas criaturas.


Leandro: essas criaturas estão por perto,ainda bem que são poucas, lembre-se de ser silencioso, elas escutam.
Anderson: certo, eu tenho um plano, eu tenho uma baioneta, eu posso tentar me esgueirar e matar alguns pelas costas.
Leandro: ok, mas lembre-se, enfie a baioneta na nuca, pois eles só morrem com dano no cerebro.
Anderson: certo, você me dá cobertura com a AK-74, caso algo dê errado.
Leandro: pode deixar.

Então, Anderson caminha silenciosamente, com sua baioneta em mãos, quando se aproxima do primeiro "zumbi", Anderson é rápido e eficiente, deixando Leandro impressionado com sua habilidade, e assim vai, um por um, Anderson faz os "zumbis" sumirem nas matas.Quando ele termina, Leandro corre e abre a porta, então chama Anderson, que entra rapidamente no local.Leandro tranca a porta e acende as luzes pelo quadro de energia.

Leandro: Precisamos procurar por mantimentos, a cozinha fica a direita, eu vou procurar munição, você procura comida e bebida, principalmente água.

Anderson então vasculha as gavetas e acha 3 garrafas de 1 litro de água e 5 rações militares, enquanto Leandro acha apenas 4 munições de calibre 12 e duas caixas de munições, ambas vazias.

Leandro: droga! eles levaram tudo!
Anderson: eu percebi, só achei 4 rações militares e três garrafas d'água, tente ligar agora para alguém, você disse que aqui poderiamos pedir ajuda.
Leandro: é verdade.

Leandro então tenta usar o radio da base para tentar se comunicar, mas o radio não dá sinal.

Leandro: não,não,não! isso não pode estar acontecendo!
Anderson: o que houve?
Leandro: está sem sinal, nós não temos mais chance.
Anderson: como é que é!?!?! voce está me dizendo que viemos até aqui para desistirmos?! eu não vou aceitar.
Leandro: aceite, não há mais o que fazer, estamos sozinhos neste inferno, no meio do nada.

Anderson então, grita com Leandro:

Anderson: SEU PERDEDOR!!! VOCÊ PODE DESISTIR E MORRER AQUI, EU VOU PROCURAR UMA SAÍDA.

É quando Anderson vai para a janela, e lá fora ele vê uma fumaça, que parece estar longe dali, mas vê uma oportunidade de ajuda.Então resolve sair da base e correr até a fumaça, Leandro pega as coisas e vai atrás, e após algum tempo correndo, Anderson se depara com uma grade que fica apoiada numa estrutura de concreto, Leandro logo chega, Anderson percebe e pergunta desesperado:

Anderson: o que é isso!?!?!?!
Leandro: é uma grade de proteção.

Anderson então o pega pelo colarinho e , bastante nervoso, diz:

Anderson: eu sei que é uma grade seu imbecil, eu quero saber porque tem uma grade que esta cercando tudo isso!!!
Leandro: eles cercaram este lugar para controlar a situação.
Anderson: eles quem?!?!
Leandro: as autoridades.

É quando Leandro percebe que há uma criatura fora da grade, e fica desesperado, Anderson pega sua EP-12 e dá um tiro na cabeça da criatura, logo em seguida Leandro diz:

Leandro: ó meu deus!! como ele saiu!!!
Anderson: não acredito, é por isso que não vimos muitos deles no caminho, eles devem estar saindo por algum lugar!!

Leandro então resolve manter a calma e pensar por onde os zumbis podem ter saído, é quando começa a recordar o ultimo dia e se lembra de algo, que resolve perguntar a Anderson:

Leandro: como você entrou aqui?!?!
Anderson: eu estava na caçamba de um caminhão, prestes a prender um traficante, quando ele bateu em alguma coisa e eu fui arremessado.
Leandro: um caminhão?!? meu deus, temos de voltar para o nosso antigo abrigo, de lá podemos voltar ao local onde te encontrei e achar rastros para chegarmos até o local da batida do caminhão.

Então os dois voltam primeiro para a base, de lá fazem o caminho contrário de quando sairam de manhã, assim podem voltar ao abrigo.Mais algum tempo se passa, eles resolvem parar para descansar.

Anderson: é melhor comermos algo.
Leandro: boa idéia, estou faminto.

Anderson então abre duas latas de atum, e dá uma à Leandro, os dois bebem o oleo para se reidratarem, e comem o atum para matarem a fome, então resolvem continuar a caminhada.É quando Leandro acha algumas marcas um pouco apagadas, mas ainda visiveis de onde encontrou Anderson, então ele procura a direção das marcas e vai seguindo os rastros, como galhos quebrados e plantas "amassadas".É quando vêem um caminhão capotado com muitos pedaços de concreto espalhados pelo chão, Anderson vai um pouco mais a frente e vê a grade com a base de concreto destruida

Anderson: é aqui, chegamos.
Leandro: veja, tem muitas pegadas por aqui.

Anderson então resolve olhar ao redor, quando olha para a esquerda e vê a fumaça, dessa vez mais perto do que antes.

Anderson: veja, uma fumaça, é da direção de onde eu estava na missão, deve ser o sargento e os outros esperando alguém ajudá-los.
Leandro: como chegaremos até lá? é muito longe.

Anderson então olha a sua frente e a alguns metros dali estava o jipe que ele havia abandonado antes de pular na caçamba do caminhão, então ele diz à Leandro:

Anderson: cara, ali tem o jipe que eu estava dirigindo antes de pular na caçamba do caminhão
Leandro: você pulou na caçamba do caminhão durante uma perseguição!!! cara, você é o rambo!!
Anderson:(risos) pode ser, vamos rapido, temos de chegar logo na fumaça antes que o esquadrão vá embora sem a gente.
Leandro: vamos então.

CONTINUA....

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...